Liderança e Realização de Grupo

De: Cartwright/Zander - Dinâmica de Grupo Capítulo 25

Em geral parte-se de algumas suposições para o entendimento da liderança como por exemplo moral, eficiência do grupo e que um alto nível de eficiência do grupo pode ser obtido com bons líderes. Pesquisa apontam que o comportamento de grupos se mostra diferente diante de lideranças diferentes, embora existam algumas situações que ilustram por onde passa a liderança eficiente. Observa-se que supervisores mais eficientes são capazes de diversificar papel (planejamento, apresentação...);delegar mais autoridade; realizar menos controle; promover maior coesão no grupo. Sobretudo um bom Líder é aquele que favorece as boas relações.

Traços de personalidade e eficiência de liderança

Não existe comprovação de que traços de personalidade específicos garantem a liderança, o que ocorre é a verificação de traços de eficiência de liderança. O conceito de eficiência de liderança se baseia no fato de que as características que colocam um indivíduo em posição de liderança podem ser bem diferentes das que o tornam um líder eficiente depois de estar no posto. A eficiência de liderança se relaciona a adequação e neste sentido é necessário considerar características pessoais e tipo de função. Em situações de treinamento onde determinada atitude é estimulada, a mudança resultante deste tipo de trabalho poderá apresentar regressões futuras dependendo da natureza da organização. Neste caso a influência do ambiente é mais poderosa do que a informação recebida em treinamento, e tais atitudes terão mais possibilidades de consolidar se há um grupo que exerce apoio mútuo. A eficiência de liderança se mostra principalmente quando o líder é sensível as transformações de seu grupos e flexível na adaptação de seu comportamento a novas exigências.

Lideranças e as funções de grupo

A insatisfação com a abordagem dos traços provocou o aparecimento de uma interpretação da liderança que acentua as características do grupo e a sua situação. Partindo do conceito de que liderança é a realização de atos que auxiliam o grupo a atingir seus resultados desejados, podemos entender que os atos que se associam a funções do grupo são: auxiliar o estabelecimento de objetivos do grupo; realizar movimento em direção aos objetivos, observar a qualidade da interação, permitir coesão. O que nos faz pensar que a cada nível de processo de um grupo, provavelmente um líder emerja (subsistemas: comportamento, emoção, normas, objetivos, valores)

Funções da liderança no grupo

Ações que auxiliam o grupo a realizar seus estados desejados são funções de liderança. Para identificar a liderança dentro desta perspectiva é necessário considerar: 1. os valores do grupo em determinado movimento 2. a adequação de tais funções para realizar tais estados 3. ações dos membros que contribuem para o fato. A liderança é vista como um ato ou atos que qualquer pessoa pode apresentar em diferentes graus e não algo que se tem ou não. Para a psicanálise as funções de liderança se dividem em: formação, manutenção e perturbação do grupo através de mecanismos como identificação, catexis redução de culpa, controle de impulso, introjeção de superego.

As 2 idéias mais importantes dentro desta concepção são:

  1. qualquer membro pode ser líder, pois é capaz de realizar ações que estão a serviço de uma função do grupo
  2. uma determinada função pode ser realizada por vários comportamentos

Ex.: a brincadeira por exemplo, pode ter a função de aliviar a tensão do grupo em determinado momento, em outros poderá estar levando um grupo a fugir de uma tarefa. De qualquer modo o objetivo ou tarefa de grupo exerce influência na natureza do comportamento de liderança que provoca.

A liderança é uma função de grupo que aparece e se caracteriza de acordo com a tarefa/objetivo que o grupo precisa atender.

Para o autor é importante enfatizar 2 tipos de funções

1 - Realização de algum objetivo -- Manifestam comportamentos como iniciar a ação; manter atenção dos participantes; esclarecer questão, desenvolver plano de ação, disponibilizar informações

2- Manutenção do grupo -- Mantém agradáveis relações, decide desavenças, apresenta estímulo, aumenta a interdependência.

Principalmente em pequenos grupos é bem perceptível a distinção, alguém que insiste para a realização e outro que satisfaz às necessidades sociais/emocionais. Pesquisa mostram que a satisfação de grupos é maior quando encontram lideranças que representem as duas funções, por outro lado líderes pontuam a dificuldade em atingir equilíbrio.

Liderança e Poder

Sempre se compreendeu liderança através da posse e do exercício de poder, no enfoque do autor compreende-se poder como a capacidade de influenciar pessoas. Pensando que o ato de liderança contribui para uma função de grupo, e esta contribuição envolve a manifestação do comportamento de outras pessoas, o poder para exercer o ato de liderança esta baseado na aceitação ou permissão que o grupo da para que tal aconteça. Pensado a respeito da relação de poder com o ato de liderança, pode-se dizer que a importância da posse de poder para a liderança efetiva esta na sustentação, se um líder tem um traço de personalidade específico, mas não tem poder social adequado (apoio de outras autoridades) a liderança não atinge índices tão altos.

Liderança e determinantes de iniciativa por um membro de grupo

1. Consciência da necessite da função
2. Sentir-se capaz de realizá-la
3. Grau de interdependência do grupo ( aumenta a responsabilidade)
4. Sentimentos de valor e aceitação do grupo
5. Confiança em suas opiniões
6. Necessidade de realização
7. Sede de Poder (neste caso o indivíduo esta atuando em prol de sua necessidade e no do grupo)

Liderança e poder

A liderança ou o ato que atende a função do grupo terá mais eficiência quanto maior seu apoio em uma base de poder (capacidade de influenciar pessoas). A utilização inadequada tende a reduzi-lo.

Bases de poder:

1. recompensa (ganho)- provoca menor resistência e maior atração
2. coerção (desobediência/castigo) - das bases de poder é a que provoca maior resistência
3. especialista (avaliação-conhecimento)
4. referência (identificação)
5. legítimo (valores aceitos pelo grupo)